Formação de Casais Responsáveis de Setor 2018



O Encontro de Formação de Casais Responsáveis de Setor reuniu, este ano, 23 casais nos dias 26 e 27 de maio, em Leiria, na Casa de Retiros de São José, integrada no Seminário Diocesano de Leiria. Sendo este um dos serviços mais importantes no Movimento, a formação dos novos CR torna-se fundamental para a dinâmica das Equipas de Nossa Senhora, sempre na fidelidade ao carisma fundador.

O lema desta formação foi a seguinte frase do Evangelho de São João: “Se Eu, o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros” (Jo 13,14). Sendo esta uma missão de serviço aos outros equipistas e ao Movimento, nada melhor do que esta frase de Jesus para, desde logo, enquadrar os novos responsáveis no espírito do serviço para que foram chamados.

O programa do encontro teve início na manhã de sábado, dia 26, com o acolhimento e a oração da manhã. Depois de um tempo destinado à apresentação dos casais presentes, foi apresentado o primeiro módulo, intitulado “O Setor em Movimento”. Após o almoço, teve lugar o segundo módulo, de caráter mais prático, relacionado com a comunicação e o encontro de equipas mistas. Até ao jantar, ainda decorreu a apresentação de mais dois módulos, o 3, “O Setor no Movimento II”, relativo ao Secretariado, e o 4, “As ENS, um caminho”. A noite foi dedicada a uma Vigília Mariana, tendo o grupo efetuado uma caminhada de oração até à Igreja/Santuário de Nossa Senhora da Encarnação. A noite terminou com um momento de convívio e com uma oração final.

O domingo começou com a celebração da Eucaristia, presidida pelo Pe. Jorge Oliveira, a que se seguiu o quinto e último módulo, “Ao Serviço do Amor”, e o fórum final, destinado ao esclarecimento de todas as dúvidas de carácter prático que ainda subsistiam sobre o funcionamento dos setores.

Em anexo a este texto, publicamos o testemunho de alguns dos casais que estiveram presentes no encontro.



Nos dias 26 e 27 de Maio, no Seminário Diocesano de Leiria, decorreu a formação para Casais Responsáveis de Sector, ministrada pela equipa formadora da Supra Região Portugal, para 24 casais de todas as Províncias de Portugal, incluindo mesmo um casal de S. Tomé e Príncipe.

Animados pelo espírito de missão transmitido pelo carisma do movimento das ENS e invocando a iluminação do Espírito Santo, todos revelaram uma enorme determinação em procurar revitalizar a vivência das Equipas dentro de cada Setor, bem como contribuir para a expansão do Movimento.

Foram partilhadas informações sobre a organização das ENS em Portugal, possíveis estratégias a seguir dentro de cada Setor, a importância da comunicação e uma reflexão aprofundada pelo padre jesuíta Jorge Oliveira, sobre o carisma que o Padre Henri Caffarel inspirou na fundação deste Movimento de espiritualidade conjugal.

Houve igualmente tempo para as sempre ansiadas Equipas Mistas, nas quais se experimentou uma diversificada e rica partilha sobre a organização, principais problemas e limitações dentro de cada Setor.

A confraternização nos pequenos intervalos e à mesa das refeições foram momentos para retemperar forças físicas e de fortalecer o ânimo para a missão de três anos, que quase todos os casais estão a começar pela primeira vez. O ponto alto terá sido uma pequena ceia partilhada, na qual cada casal contribuiu com o que de mais típico cada região de Portugal possui.

Aconteceram ainda momentos de oração pessoal e em casal, a recitação dos mistérios do terço numa peregrinação noturna ao santuário de Nossa Senhora da Encarnação, no centro da cidade, culminando com a Eucaristia dominical no Seminário.

Maria José e Fernando Neves

(Equipa Tourais 1, Sector Guarda, Região Centro Interior)



Caros amigos!

Foi para nós uma alegria e um privilégio a graça que Deus nos concedeu de participarmos na Formação de Casais Responsáveis de Setor, promovida pela Supra Região Portugal, realizada em Leiria nos dias 26 e 27 de maio.

Se um misto de alegria e ansiedade nos invadiu desde o desafio para esta missão como Casal Responsável do Setor Açores Oriental, foi neste encontro, reunidos com extraordinário grupo de casais, todos imbuídos num enorme sentido de entreajuda, de serviço e compromisso com o Movimento das Equipas de Nossa Senhora (ENS), que nos sentimos energizados para dar resposta a este chamamento.

Seguindo o mote deste encontro, pomo-nos ao serviço com sentido de missão, a exemplo de Cristo que com o seu testemunho nos mostrou o caminho: “Se Eu, o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros (Jo 13, 14).

Foi com esta passagem do Evangelho que a Margarida e o João Paulo Mendes, Casal Responsável da Supra Região Portugal, nos acolheram para uma jornada de reflexão sobre o papel dos responsáveis de Setor das ENS, desafiando-nos a “aprofundar a nossa missão de casal, vivendo-a na abertura e serviço dos outros” (Carta 65, “Ecos da Supra Região”, pág. 6).

A equipa que preparou este encontro presenteou-nos também com marcantes momentos de espiritualidade, aprofundamento e vivências de fé, sendo um dos pontos altos a Eucaristia de domingo, por todos alegremente vivida e participada; e outro, a Vigília Mariana na escadaria da capela de Nossa Senhora da Encarnação, que sob o céu estrelado de Leiria viu acender um rosário de constelações de velas em prece e oração, iluminando a alma ao som de vozes e guitarras.

O encontro também foi marcado pela partilha de experiências dos casais, o que a todos enriqueceu e com a presença desafiante do conselheiro espiritual Pe. Jorge Oliveira.

No início desta caminhada, pedimos ajuda a Deus para que possamos estar ao serviço com a exigência proposta pelo Pe. Caffarel, e, confiando que “Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos”, manifestamos a nossa gratidão a toda a equipa que nos proporcionou este fecundo encontro.

Susana e José Benjamim Rodrigues

(Equipa Ponta Delgada 22, Setor Açores Oriental, Região Açores)



Vinte e três casais reunidos em nome de Cristo, oriundos de Norte a Sul e Ilhas do País e também S. Tomé e Príncipe.

Casais convidados a ser Responsáveis de Setor.

Que missão é esta? Por que fomos convidados? O que temos que fazer, e como, que critérios para convidar casais para formar a equipa de Setor?

Foram estas as principais questões, os medos e ansiedades manifestados por todos nós.

Mas todas estas dúvidas, questões e receios foram diminuindo à medida que os casais responsáveis pela formação nos foram passando as suas experiências e os seus testemunhos de vida no Movimento das ENS.

Cada testemunho fez aumentar a nossa motivação e desvanecer os nossos medos. O último testemunho, do casal Margarida e José Alberto, tocou-nos particularmente: com a sua experiência, como o seu saber, com o “ensinar-nos a saber calar e deixar Deus falar”, aprender a aceitar a crítica, a aceitar os erros e a aprender a lidar com os outros.

Todas as intervenções e informações foram motivadoras.

A heterogeneidade dos casais foi um aspeto muito positivo (desde os muito jovens aos muito experientes, desde os 0 aos 7 filhos, sem esquecer os netos). Conhecer a experiência e realidade de cada um foi ótimo.

Foi um excelente fim de semana! Sentimos que regressamos mais ricos. Bem Hajam pela disponibilidade e partilha!

Que o Espírito Santo nos ilumine e acompanhe nesta missão para a qual Deus nos chamou e que, tal como fizeram os que nos precederam, possamos dar um contributo válido para a caminhada dos casais das ENS rumo à Santidade… “nem mais, nem menos!”.

Paula e Nuno Barreto

(Equipa Linda-a-Velha 4, Sector Oeiras B, Região Cascais-Oeiras)



Queridos Amigos Equipistas:

Foi com muito alegria e expetativa que viajamos até ao Seminário de Leiria no passado fim de semana.

Íamos, tão só, à Formação de Responsáveis de Setor do nosso Movimento. Coisa pouca! Já tivemos exames mais difíceis. Adiante...

Estamos nesta Missão (RS F Porto) faz já ano e meio, mas por dificuldade de agendamento devido a eventos felizes e muito importantes no seio das nossas famílias não foi possível conciliar com as datas das edições anteriores desta Formação.

Todavia, como nunca é tarde para aprender…, e com o incentivo sábio do Casal Responsável da nossa Região, metemos os “pés” ao “Caminho” – melhor dizendo: as rodas da viatura na estrada – e lá fomos, convencidíssimos que o destino era Fátima.

Confessamos que não sabemos de onde nos surgiu esta ideia… ele há coisas! Mas a verdade é que Fátima é Fátima e é onde acontecem coisas importantes! Julgamos nós!?

Procurámos sair de casa com a antecedência conveniente, não fosse o “Diabo” tecê-las (um furo, uma “perrice” do carro, quantidades anormais de tráfego, etc.)…, para chegarmos a tempo e horas, bem-dispostos e descontraídos.

Viajando em amena cavaqueira, volume do rádio muito baixinho, conversando trivialidades e outros assuntos importantes, já próximos do destino chegou à altura de ligar o GPS. A Graça solicita e voluntariosa como sempre, rapidamente digitaliza a morada. Não tão rápido, a senhora do GPS dá a indicação:

- Daqui a 500 m saia na saída!

Tratava-se da saída 9 A1 (Leiria). Meu raciocínio e dito:

- O GPS está maluco?! Se é em Fátima, para que nos manda sair em Leiria?? Não se pode confiar nas NTI!!!

Resposta da Graça, confusa mas mais prudente, procurando discernir a situação:

- Pois! Não sei.

Digo eu, muito resoluto, como quem marca um grande golo e é o último a perceber que está fora de jogo:

- Não pode ser! Seguimos para Fátima! O GPS há de atinar!...

Convencidos, não tanto a Graça, num instantinho chegámos a Fátima.

Eu outra vez, no meu melhor:

- Digitaliza outra vez a morada, s.f.f..

Desta vez consegui baralhar o GPS…!? Deu a indicação do Hotel S. José em Fátima, para onde desde logo nos dirigimos. Com certeza foi por aproximação!

Mas, uma vez aí chegados, no mesmo instante realizámos que não poderia ser o local.

Outra vez os meus ditos:

- Não me cheira!

Decisão comum: parar, consultar os e-mails e… “atinar” – isto mais para mim! Desci à Terra e só fiz o que a Gracinha disse... ele há coisas!

Outra vez os dados introduzidos no GPS e rumámos ao Seminário em Leiria. Desta vez sem equívocos.

Que tendência tem o “mafarrico” para se atrelar a mim?! Mas também só me enganou quinze minutos, chegámos às 10:45. UFA!!!

Agora as coisas que realmente interessam.

Fomos muito bem acolhidos, pelo que logo nos sentimos como que em Casa. Muito obrigados!

Com a celeridade necessária fomos instalar-nos (pousar a mala, fazer XX…, lavar a cara… o trivial), e muito prontamente nos pusemos “au point de travaille”, se assim se pode dizer!


Onze horas de Sábado

Sala bem composta. Amigos com ar bem disposto, intervenientes alegres e dinâmicos.

Outra vez eu:

- “Isto” começa bem!

Estão a ver a Gracinha com ar indignado a olhar para mim, muito possivelmente a perguntar-se: «O que é que este “mafarrico” já está p’ra ‘qui a magicar». Naturalmente se esse foi o pensamento, tenho de dar a mão à palmatória! Reconheço… humildemente “mea culpa”.

E começou bem. Muito bem! Tão bem que há muito tempo não nos “sabia” tão bem uma oração em comum. Bem hajam!

Seguiram-se os trabalhos.

Bem planeados, bem controlados, com os tempos próprios e acima de tudo conteúdos interessantes e bem adequados.

Tanto “bem” é repetitivo e em termos literários é considerado um erro. Mas de facto foi bem.

Terminada esta parte dos trabalhos fomos almoçar. Outras surpresas boas:

  • As companhias… animadas e simpáticas com quem conversar, foi um prazer!

  • A refeição… simples como deveria ser (note-se a orientação do Movimento aqui bem espelhada) e bem confecionada (sopa, conduto) e fruta saborosa… tudo no “target”.

  • Café… tirado pelos Equipistas… não há melhor!

Sabia bem continuar na cavaqueira tarde fora, mas optámos, e bem, por prosseguir os trabalhos.

Passou-se então às Equipas Mistas… outro sucesso!

A partilha foi muito interessante e rica, quer durante a meditação do Texto quer na partilha dos assuntos de que tratámos. Ficámos a conhecer realidades muito diferentes da nossa. Como funcionam de forma diferente os SETORES, mas eficazmente, em função da sua organização geográfica e demográfica. Como é possível dentro do próprio Movimento, encontrar diversidade que em nada foge ao Método! Sim, é possível e interessante. Há a Mão de Deus aqui!… O Método não é estanque, ajusta-se à Vontade do Senhor. Não à nossa…

A tarde passou num ápice e rapidamente nos encontrámos a Jantar “todos juntos”. Foi bom!

E depois de fazer XX e lavar os dentes, passámos à Vigília. Em Romaria à Nossa Senhora da Encarnação, rezámos com Fé. Aquela Fé com a certeza mais pura de que a Mãe nos ouve… como se fossemos crianças certas do Pai Natal.

Devemos confessar que aqui nos perdemos, e não conseguimos seguir a Romaria… vicissitudes, galo técnico, o que quer que fosse, aconteceu.  Mas rezámos juntos… e rezámos porque assim estávamos com os outros Equipistas. Ao mesmo tempo procurávamos os nossos Amigos, rua abaixo, rua acima, jardim, igrejas… não os encontrámos.

Decidimos ir descansar, claro está que a Graça ficou desconsolada, mas não havia muito a fazer… quando demos por isso, era manhã:

- Bom dia Gracinha!

E em surdina: «Meu Deus, nem dei pelo tempo passar… AH?!… bom dia também!»

Fazer XX, “desfazer a barba” e duche , vestuário e “cheirinho” e aí vamos nós todos “pimpões” para o pequeno-almoço. Simples mas bom! Parabéns. AH!… e outra vez a cereja em cima do bolo: as companhias todas bem dispostas e animadas. Magnífico!

 

Domingo 9:00 H

Missa

Animação, música e coro…, do melhor que há!

Acólitos: top… simplesmente espetacular! “Pescados à “força” no meio de nós… foi uma delícia!

Celebrante: cativante, intrigante e a fazer-nos pensar!… Excelente!

 

Últimas comunicações

Padre Jorge… conseguíamos ficar a ouvi-lo até…

Todas as comunicações primaram pela leveza e clareza, com a informação necessária e nada extensa. Gostamos de todas as intervenções e da forma de comunicar dos intervenientes. Pareceu-nos este ser o sentimento geral.

Cabe aqui também um agradecimento, a todos quanto colocaram questões no Fórum pois foram de grande pertinência e utilidade.

 

Almoço de encerramento

Já sem palavras…

As coisas boas são assim… deixam-nos saudades!

PARABÉNS A TODOS!… BEM HAJAM!

P.S.: Já me esquecia, só houve pudim no Domingo… isto ele há coisas!

Graça e Alexandre Rodrigues

(Equipa Porto 149, Setor Porto F, Região Porto)



Descarregar imagens
Publicado em quinta-feira, 14 de Junho de 2018
 
SUPRA-REGIÃO PORTUGAL